segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Shortbread de pepitas de chocolate





As bolachas de shortbread para mim e das texturas mais macias que conheco,e daquelas que se trincam e se desfazem na boca.Tirei a receita de um livro chamado Perfect Chocolate.Fiz uma dose para experimentar ,da proxima vez vou fazer a dobrar e cortar os triangulos mais pequenos.

115 grs de manteiga
115 grs de farinha
55 grs de farinha maizena
55 grs de acucar amarelo(do claro)
40 grs de pepitas de chocolate

Peneire as farinhas para uma tijela,poe-se o acucar a manteiga e misture ate ficar tudo ligado.
Unte uma forma de tarte,de 22cm de diametro.Verta a mistura e forre o fundo da forma,pique a massa com um garfo,polvilhe com as pepitas de chocolate.
Leve ao formo pre-aquecido a 325/160 por 40 minutos.
Retire do forno corte em 8 triangulos e deixe arrefecer por 10 minutos.Depois retire da forma e deixe arrefecer por completo numa rede.

12 comentários:

Cuca disse...

Adoro shortbread!!! Esta receita é óptima!!! Adorei e ficou com óptimo aspecto!!
Beijocas*

fénix renascida disse...

Não tenho jeito nenhum para a coisa, mas sei apreciar. E lá de vez em quando posso precisar de uma dicas:)

O meu assunto, porém, é outro:

Trata-se de decidir sobre a guarda dos filhos, em caso de separação: guarda à mãe (que é normalmente, a figura de referência da criança), ao pai (que é, muitas vezes, aquele que oferece melhores condições), ou conjunta? Pode um juíz decidir por esta última, contra a vontade de um casal que acaba de se separar? Pode decidir pelo pai, ainda que nada haja a apontar à mãe?

Palavras sábias de um pai que ganhou, em tribunal, a custódia dos filhos: A tutela dos filhos é um empreendimento para a vida; não pode ser gerido por dois sócios que não se entendem. As pessoas não conseguem deixar de usar o seu poder para anular decisões e exercer pressões. É preferível que só um dos pais tenha a tutela, por muito que isso custe ao outro. A educação de uma criança não é passível de falhas.'

Ponhamos a mão na consciência: se a lei não permite que se separe as crianças de junto dos seus pais, mesmo que estes vivam em fracas condições, porque razão há-de um juíz atribuir a guarda ao progenitor que ofereça melhores condições? É este o superior interesse da criança?!

Eis a minha petição pela salvaguarda daquilo que eu entendo ser um direito NATURAL das mães (desde que estas tenham o MÍNIMO de condições e se revelem BOAS -mas não perfeitas, claro- mães).

http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575

TiTó disse...

hum... k bom aspecto :)

e que bem que sabia agora :)

beijocas grandes***

Fatima disse...

Gosto muito desse tipo de massas, parece delicioso, vou experimentar, obrigada pela sugestão.
Bjs e um bom dia

Carina disse...

Delicioso!!!!!!!!!!!!!!!

Beijinhos :)

Pratos da Bela disse...

Hummmm, acho que ceguei, com tanta coisa boa,,,
Não tendes vergonha de mostrar este pecados divinais? ;D
Tem tudo muito bom aspecto
Jinhos fofos

Susie L disse...

Olá,

encontrei o seu blog por acaso, e adorei... que coisas saborosas... fiquei com água na boa, principalmente com a foto do bolo de limão, fiquei tentada a experimentar...

Susie L
http://coisasdasusie.blogspot.com

Fimère disse...

tes sablés ont l'air croustillants c'est à croquer
ravie de découvrir ton blog il est vraiment joli
bonne soirée

moranguita disse...

ai ams que boas
realmente uma dose sabe a pouquinho nao e mesmo?hehe
beijocas

Sónia Meirinho disse...

nao conhecia mas fica com um aspecto bem guloso!! adorei.beijos

Lu - Uma Casa no Norte disse...

Já copiei para fazer! Adorei!!
Beijinhos

Ana Powell disse...

Delicioso x